O uso do Extensible Firmware Interface (EFI) é fundamental no mundo dos servidores de uma rede. Trata-se de uma especificação da Intel para uma plataforma de inicialização (boot) independente de SO (ver a definição no quadro abaixo. O EFI fica entre o SO e o firmware do servidor, o que permite ao sistema operacional iniciar sem obter ou precisar de maiores detalhes sobre o hardware presente. O EFI suporta assim dispositivos de boot, usando memória linear1 e abstraindo detalhes maiores do SO. O EFI enriquece tremendamente utilitários de inicialização típicos do mundo RISC e também aqueles usados no mundo de servidores e estações de trabalho Sun, como o OpenBoot PROM (OBP).

O acrônimo EFI entrou recentemente para o mundo dos computadores domésticos por conta da implementação do UEFI - Unified Extensible Firmware Interface. que hoje está felizmente na maior parte dos computadores desktops, ainda que os fanáticos de plantão tenham visto neste recurso, junto com o fundamental secure boot, manobras sinistras para destruir o software open source, livre, o Linux, etc., ou seja, uma mínima parcela de SOs que estão nos computadores domésticos, ainda que o Linux esteja presente fortemente e de forma produtiva no mundo dos servidores, onde gerenciadores tipo EFI são corriqueiros. Pode ler sobre o tema, e mesmo o desmonte destes mitos tolos visite a página "O tópico definitivo contra mitos sobre UEFI no GNU/Linux"...

Definição Intel: "The Unified EFI (UEFI) Specification (previously known as the EFI Specification) defines an interface between an operating system and platform firmware. The interface consists of data tables that contain platform-related information, boot service calls, and runtime service calls that are available to the operating system and its loader. These provide a standard environment for booting an operating system and running pre-boot applications."

 
Revisão v. 1.4
 
  1. Memória linear ou flat é a capacidade de endereçar a memória de forma contígua sem segmentação. []