A instalação de discos novos num sistema operacional é muito comum, atendendendo necessidades de expansão e backup. No OpenVMS é relativamente simples.

Inicialmente vejamos os HDs disponíveis no OpenVMS, listando os discos SCSI:

$ SHOW DEV DKA

Device                  Device           Error    Volume         Free  Trans Mnt
 Name                   Status           Count     Label        Blocks Count Cnt
VMS0$DKA0:              Mounted              0  ALPHASYS      14914896   324   1
VMS0$DKA100:            Online               0  
VMS0$DKA400:            Online wrtlck        0

Já sabemos que o disco que queremos inicializar (ou formatar na linguagem mais comum), marcado pela seta, é o "DKA100", que é marcado como on line, o que significa que foi reconhecido pelo kernel, mas ainda não está pronto para o uso. O comando INIT por default usará o sistema de arquivos do OpenVMS "Files-11 On-Disk Structure Level 5(ODS-5).

INITIALIZE ou INIT é chamado do terminal com a indicação do HD desejado, logo após interativamente pedirá um "label" para o disco, usarmos "dsk1", mas poderia ser um label qualquer.

$ INITIALIZE DKA100
_Label: DSK1

 


Uso do comando INITIALIZE: "INITIALIZE device-name[:] volume-label"
 
O comando INIT tem vários qualificadores que fazem ser bem complexo, mas podem ser resumidos na capacidade do OpenVMS em apagar (destruir efetivamente) os dados que porventura já existam, outrora gravados, nesta unidade de disco. Por padrão o INIT aplicará o file high-water mark (FHM) que imperdirá que o leitor recupere arquivos que ele não criou.
 

Algumas opções

  1. /GPT: cria uma tabela de partição GUID gravando a informação de boot em [......]GPT.SYS
  2. /NOSHARE: restringe o acesso ao disco inicializado
  3. /ERASE=INIT: apaga os arquivos orignais do disco


 

Agora com "MOUNT" montamos o disco num "logical-name", que é muito semelhante ao que o Unix/Linux chama de ponto de montagem, porém esta montagem em OpenVMS exige mandativamente o uso do label escolhido:

$ MOUNT VMS0$DKA100: DSK1 DSK1
%MOUNT-I-MOUNTED, DSK1 mounted on _VMS0$DKA100:

Ou seja: MOUNT recebe os seguintes parâmetros, nome do node, aqui a máquina se VMS0, mais o dispositivo DKA100 (VMS0$DKA100), o label usado "DSK1" e o nome lógico (ponto de montagem) usado "DSK1" também. Vejamos agora se de fato o HD foi montado corretamente:

$ SHOW DEV DKA100

Device                  Device           Error    Volume         Free  Trans Mnt
 Name                   Status           Count     Label        Blocks Count Cnt
VMS0$DKA100:            Mounted alloc        0     DSK1        4110272     1   1  
   


 
Revisão v. 1.2