RenatoMartini.Net

Month: junho 2014

Os computadores. Pior do que idéias ruins são os modismos de idéias

Antes da sociedade da informação, do mundo da internet, digamos assim para facilitar , o mundo dos computadores, dos cérebros eletrônicos da cibernética, como algo aterrorizador, posto que faria da vida comum algo mecânico e frio. Nos anos sessenta, talvez alguns se lembrem de uma velha canção de Taiguara que dizia: programar o amor em seus computadores. Este verso singelo expressa bem este espírito. Também era uma visão muito difundida, está na obra de Marcuse, por exemplo, a visão que a tecnologia, mais do que aumentar o domínio do humano sobre a natureza, faria ela também aumentar o domínio do homem sobre o homem.

Inquestionável que a tecnologia da informação trouxe uma visão mais luminosa à tecnologia e mesmo libertadora. As redes, as redes sociais, a Internet, enfim, todo este movimento que floresce em nossos dias, são impulsos mais libertadores que repressores. Alguns chegam a ver, e o que a meu ver é um equívoco e modismo singelo, na Internet causa das transformações na ideia de trabalho, democracia, de economia, etc.

Mas, incrível como Michel Tournier muitos anos antes conseguiu vislumbrar a capacidade da Web em vincular, indexar e registrar fatos da vida pessoal e coletiva, o que pode gerar, talvez, pulsões que nos levem a forças tremendamente repressoras.

Os computadores apresentam um perigo para a sociedade futura? Acredito que há poucos riscos que os computadores mais inteligentes, que os homens mais dotados, se beneficiem disto para tomar a direção dos assuntos do mundo e reduzam o homem à escravidão. E, aliás, se assim fosse, não seria melhor em suma que o mundo fosse dominado por um robô, se este robô fosse mais sábio que o mais sábio dos homens? Penso que o perigo está alhures. A única faculdade que possui o computador num degrau sobre-humano é a memória. Ora, a acumulação do passado é em certos limites um trunfo importante, mas é também um fardo, um balastro que na natureza muito sabiamente se libera para cada nova geração já que o saber dos pais não se transmite hereditariamente aos filhos. Há na França uma infâmia no sistema judiciário que palidamente prefigura o flagelo que poderia se tornar o computador, é a instituição da ficha judiciária e sua liberação por registro sob demanda. Graças a ela, um homem que foi condenado e que pagou sua pena continua a trazer com ele uma indignidade que o condena ao desemprego e à reincidência. Pouco se imagina o que tornar-se-á nossa vida quando um robô registrar todos nossos atos, todas nossas palavras e nos confrontará incessantemente com esse peso morto esmagador e ameaçador. A faculdade de tudo apagar e de começar de novo, é infinitamente preciosa e se incarna no nascimento da criança e mais modestamente no sono noturno e no despertar de manhãzinha. O homem que possuísse uma faculdade de esquecimento total, a amnésia absoluta, seria imortal. (Journal Extime, pp.234-5.) Pensamos num bom tirano que suprimiria com um rabisco o estado civil, a cédula de identidade, passaporte, registros de toda ordem, fichas judiciárias, em suma, todo este fantasma de papel cuja utilidade supondo que exista é sem relação com o trabalho e os vexames que ela custa. (Le Roi des Aulnes, ed. Folio/Gallimard, p.65)

 
Revisão v. 1.0a
 

O tal padrão de criptografia maculado pela NSA

Interessante matéria divulgada no Portal Convergência Digital, ver o link abaixo, Brasil abandona padrão de criptografia maculado pela NSA, sobre debates ocorridos recentemente em nosso CertForum em Brasília.

Muito me perguntaram sobre o tema após a matéria citada. Basicamente repeti os argumentos desenvolvidos em um artigo.

Ainda uma vez, alerto o leitor interessado em aprofundar o tema, a ler então um longo artigo que coloquei aqui no blog, chamado "FIPS_mode()… Não obrigado". É uma descrição mais técnica que norteou a decisão brasileira de revogação da chave criptográfica que usara o padrão de curvas elípticas definido pela NSA/NIST/IETF, chamado comumente de Suite B, e, no mesmo passo, a adoção de novos padrões europeus para curvas elípticas, que também serão usados no passaporte eletrônico brasileiro.

http://convergenciadigital.uol.com.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=36860&sid=11#.U43myCh4ZY4

 
Revisão v. 1.1a
 

12ª CertForum: mais tradicional evento do Brasil sobre certificação digital ICP-Brasil

Nestes últimos dias, 27 e 28 de maio, realizamos em Brasília a 12ª edição do CertForum, o mais tradicional evento brasileiro sobre certificação digital no padrão da Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira – ICP-Brasil. Ainda influenciados pelas excelentes apresentações e pelos momentos de debates, convém dedicar publicar algumas poucas linhas em nosso boletim especial sobre o evento. A primeira impressão é a de que o CertForum já faz parte da agenda de eventos de um público bastante especializado. São representantes da grande indústria e comércio de Tecnologia da Informação e Comunicação, das Autoridades Certificadoras da ICP-Brasil além de muitos pesquisadores e gestores públicos. Essa presença constante e participativa de setores tão importantes do Brasil confere ao CertForum a importância de um grande acontecimento e a responsabilidade de prosseguir com sua principal característica que é a publicidade das mais importantes novidades de uso da tecnologia ICP-Brasil. Não menos importante é a composição da grade de programação de nosso evento. Embora sempre almejemos trazer ao CertForum palestras que demonstrem com clareza o uso, a importância e as vantagens da certificação digital, não podemos permitir que a profundidade e a complexidade do tema sejam preteridas em nome de uma didática simplista. Como dissemos, o público que comparece ao CertForum é especializado e quer, continuamente, assistir exposições que acrescentem conhecimento e proponham inovações. Estamos seguros que não faltaram esforços neste sentido e que houve êxito na escolha dos temas e das palestras do 12º CertForum. Por fim, o que desejamos é que aqueles que dedicaram tempo para estar presentes ou mesmo acompanhar as palestras através da internet tenham aprendido mais sobre certificação ICP-Brasil, sobre o documento eletrônico no Brasil e sobre o propício momento de modernizar gestões para gerar novas economias e contribuir para a edificação de um Brasil onde o conceito de cidadania digital possa materializar-se na assinatura eletrônica realizada com certificados ICP-Brasil. Confira a cobertura completa do 12º CertForum no sítio do evento: http://certforum.iti.gov.br/

 
Revisão v. 1.0
 

Copyright © 2017 RenatoMartini.Net

Theme by Anders NorenUp ↑