RenatoMartini.Net

Month: agosto 2013 (page 1 of 7)

Usando “Tabbar mode” no Emacs

Tabbar1 é um programa Lisp que insere no ambiente Emacs uma "barra" semelhante aquelas dos navegadores web, na altura dos menus.

O ideal é instalar o Tabbar pelo instalador de pacotes do Emacs (explicado aqui), será um processo mais suave e terá a certeza de ter o código mais recente.

Eu pessoalmente prefiro as sugestões aqui reproduzidas do site Da Zhang, mas as idéias do EmacsWiki2 são igualmente interessantes e podem ser exploradas. De qualquer forma, o Tabbar é extremamente versátil e configurável.

tabbar mode -- ssh

    ::Sugestões de customização do site "Da Zhang's web notes"3

  1.   Customização do .emacs:
    1. (setq tabbar-background-color "#959A79") ;; the color of the tabbar background
    2. (custom-set-faces
    3. '(tabbar-default ((t (:inherit variable-pitch :background "#959A79" :foreground "black" :weight bold))))
    4. '(tabbar-button ((t (:inherit tabbar-default :foreground "dark red"))))
    5. '(tabbar-button-highlight ((t (:inherit tabbar-default))))
    6. '(tabbar-highlight ((t (:underline t))))
    7. '(tabbar-selected ((t (:inherit tabbar-default :background "#95CA59"))))
    8. '(tabbar-separator ((t (:inherit tabbar-default :background "#95CA59"))))
    9. '(tabbar-unselected ((t (:inherit tabbar-default)))))

     

  2.   Atalhos no teclado:
    1. (global-set-key (kbd "C-S-p") 'tabbar-backward-group)
    2. (global-set-key (kbd "C-S-n") 'tabbar-forward-group)
    3. (global-set-key (kbd "C-<") 'tabbar-backward)
    4. (global-set-key (kbd "C->") 'tabbar-forward) ;; tabbar.el, put all the buffers on the tabs.
  3.   Usando dois esquemas de "grupos" diferentes:
    1. (defun tabbar-buffer-groups-by-dir ()
    2. "Put all files in the same directory into the same tab bar"
    3. (with-current-buffer (current-buffer)
    4. (let ((dir (expand-file-name default-directory)))
    5. (cond ;; assign group name until one clause succeeds, so the order is important
    6. ((eq major-mode 'dired-mode)
    7. (list "Dired"))
    8. ((memq major-mode
    9. '(help-mode apropos-mode Info-mode Man-mode))
    10. (list "Help"))
    11. ((string-match-p "\*.*\*" (buffer-name))
    12. (list "Misc"))
    13. (t (list dir))))))
    14.  
    15. (defun tabbar-switch-grouping-method (&optional arg)
    16. "Changes grouping method of tabbar to grouping by dir.
    17. With a prefix arg, changes to grouping by major mode."
    18. (interactive "P")
    19. (ignore-errors
    20. (if arg
    21. (setq tabbar-buffer-groups-function 'tabbar-buffer-groups) ;; the default setting
    22. (setq tabbar-buffer-groups-function 'tabbar-buffer-groups-by-dir))))
  4.   Configuração final:
    1. (setq tabbar-cycle-scope (quote tabs))
    2. (setq table-time-before-update 0.1)
    3. (setq tabbar-use-images t)

Referências na web:

zhangda | Da's recipes on Emacs, IT, and more
Emacs Wiki
StackOverflow web site

 

  1. Originalmente escrito por David Ponce em 2003/2005, e mantido hoje por outros []
  2. Ver link nas referências... []
  3. Ver no final do post, "Referência". []

Uso da biometria facial no Facebook – NBC News.com

De certa forma continuo minha nota anterior com esta matéria da rede NBC, que reporta o uso da biometria da face em suas bases de dados com o objetivo da integração e reconhecimento de seus usuários. Esta é a biometria mais usada em controle de fronteiras (border control), controle aeroportuário e também de filtragem de multidões. A única coisa que uma rede social tipo facebook é ser uma multidão.


Mais informações sobre biometria e border control aqui e aqui.


"The changes would come at a time when Facebook and other Internet companies' privacy practices are under scrutiny, following the revelations of a U.S. government electronic surveillance program.
Facebook, Google and other companies have insisted that they have never participated in any program giving the government direct access to their computer servers and that they only provide information in response to specific requests, after careful review and as required by law."

"Facebook may add your profile photo to facial recognition database" - NBC News.com

12 anos de ICP-Brasil

 A cada ano, desafios são superados e outros mais surgem na esfera da Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira – ICP-Brasil. Não poderia ser diferente por se tratar de um Tecnologia da Informação e Comunicação – TIC, e não poderia ser mais gratificante por ser uma plataforma criptográfica 100% nacional, operada pelo Estado e que figura entre as mais robustas até então utilizadas nos governos Federal, Estadual e Municipal.

Em 12 anos, congratulados entes públicos aderiram à eletronização de processos e perceberam que não apenas os investimentos à época realizados foram resgatados bem como novas economias passaram a ocorrer, quer de tempo, quer de recursos ou de insumos. A utilização acessória de certificados digitais ICP-Brasil não lhe confere menor importância nesses avanços; antes, a segurança, integridade, confiabilidade e validade jurídica dos certificados fazem da ICP-Brasil um sistema indispensável para o desenvolvimento da nação e útil no cotidiano de pequenas, médias e grandes empresas.

Regida pela Medida Provisória 2.200-2 de 24 de agosto de 2001, a certificação digital ICP-Brasil é um dos elos tecnológicos necessários ao cumprimento de metas estabelecidas pelo Governo. Seu uso possibilita celeridade à trâmites complexos, vide exemplos o Judiciário e suas inúmeras varas que adotaram o Processo Judicial Eletrônico – PJe, e o setor bancário com a Compensação de Cheques – Compe por Imagem que permitiu a tempestividade nessas ordens de pagamento à vista. Outra utilização de volume não-negligenciável da tecnologia ICP-Brasil diz respeito à emissão de bilhões de Notas Fiscais Eletrônicas – NF-e, capitaneada pela Receita Federal do Brasil e que reforça todas as afirmações sobre seus quesitos computacionais e legais.

Por tanta coisa feita até aqui, nos resta parabenizar a ICP-Brasil pelos 12 anos de êxito em suas operações. Aos colaboradores que atuam no Instituto Nacional de Tecnologia da Informação – ITI, que são a força de trabalho do Estado Brasileiro nesses anos de conquistas, aos membros do Comitê-Gestor, representação legítima da sociedade no âmbito da ICP-Brasil, Autoridades Certificadoras e de Registro, prestadores de serviço de suporte, Laboratório de Ensaios e Auditorias, indústria, entidades públicas e privadas e todos os demais envolvidos no tema certificação digital ICP-Brasil, o nosso muito muito obrigado por tudo o que foi realizado até hoje.

Fonte:
http://www.iti.gov.br/noticias/indice-de-noticias/4369-12-anos-de-icp-brasil-palavra-do-diretor-presidente-do-iti-renato-martini1

A expansão da biometria no Brasil

Recente artigo no SingularityHUB aborda o crescimento da biometria no Brasil e na Índia. Quem acompanha as tecnologias digitais no Brasil, principalmente aquelas voltadas para segurança e identificação, sabe que a biometria tem uma enorme aceitação e compreensão entre nós. Comparativamente ao certificado digital, a criptografia de chave pública, as diversas biometrias, sim ela é plural, são de mais fácil e raptada percepção pelo senso comum. Por uma razão simples: as relações sociais, a vida coletiva — digamos assim — é biométrica. Trocando em miúdos: quando alguém arca a sobrancelha, emitindo algum tipo de "decisão" ou estado de espírito, a criança que identifica rapidamente no olhar da mãe a proibição de seu ato, etc., são expressões biométricas que fazemos no dia-a-dia, e desde muito cedo. Não é um tema que vi muito explorado, mas de certa maneira, comparativamente, fazem a biometria mais fácil frente a outras tecnologias bem mais complexas de serem explicadas e, portanto, apreendidas. Alguns estudos nos anos 701 sugeriram uma "biometria comportamental", ao levar para o lado mais psicológico e menos social, deu lugar a ilusão de se extraírem algoritmos que pudessem individualizar as pessoas por este tipo de biometria. Afastando-se ainda mais do que o Governo norte-americano, por exemplo, considera como característica da biometria: uma medida objetiva — "objective measurement of a physical characteristic of an individual".

Este é o aspecto positivo da tecnologia biométrica; já explicar o que é chave pública e privada, ACs, ARs... Mas é ainda confusa como padrão: "nem todos sistemas biométricos são construídos igualmente. Pode haver perfomances diferentes entre duas implementações da mesma biometria".2 O que a PKI não é — é bem mais madura e interoperável — é sobretudo um segredo compartilhado, o que uma chave criptográfica não é, pois permanece guardada num chip resistente à violação. Minha impressão digital pode ser reproduzida, pode e fica comumente num vidro de uma mesa, por exemplo, é o que o artigo chama de "surreptitious acquisition of biometric data". No entanto, certificação digital e mais biometria formam um par de tecnologias e de usos deveras importante seja em meios de pagamento seja em política pública.

  "A carência de padrões biométricos em nível industrial dificultou o desenvolvimento de alguns tipos de sistemas biométricos e o crescimento deste setor industrial. Falamos de uma área tecnológica muito nova, ainda não consolidada e em muitos casos, dividida, que deu lugar ao desenvolvimento de padrões redundantes e não aceitos de forma única e global."3 

É contra este aquisição sub-reptícia de nossos dados biométricos que o PROJETO DE LEI Nº 3558/2012 do Dep. Armando Vergílio4 que se levantar, determinando punição para que compartilhar o dado biométrico do cidadão brasileiro. Chamo atenção em especial para o §1o. do Artigo 4o. que estabelecerá a "convivência" positiva entre 0 sistema ICP-Brasil e a biometria:

  
  "A Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira – ICP-Brasil se adequará para a utilização de sistemas de verificação  biométrica, bem como promoverá o uso de aplicações seguras com a  utilização conjunta de assinaturas digitais e assinaturas biométricas,  proporcionando maior certeza probante e facilidade de utilização." 

 

"Guarding against spoofed forms of anatomical identification keeps bank accounts secure, but what about the privacy of one’s biometric data itself? 'The surreptitious acquisition of biometric data is obviously a possibility', said Arun Ross. For now, the cost and difficulty of stealing fingerprints or maps of palm veins in any usable format keep most fraudsters away. But as biometrics serve as a guardhouse for more money and other valuables, the systems will become more appealing targets. That means that research into anti-spoofing safeguards will be a critically important factor in the mainstream adoption of biometric systems, according to Ross."

http://singularityhub.com/2013/08/26/brazil-and-india-lead-the-way-in-everyday-use-of-biometrics/

 
Revisão v. 2.0
 
  1. Por exemplo: W. Brooks. The Psychology of Skill: Three Studies (1973), ou ainda L. West. Acquisition of Typewriting Skills: Methods and Research in Teaching Typewriting (1972). []
  2. E. Whitley & G. Hosein. Global Challenge for Identity Policies, 2012, p.102 []
  3. José Pasamontes, "Estándares Biométricos", In: Tecnologías Biométricas Aplicadas a la Seguridad, p.359 []
  4. Consulte-se http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=1118245&filename=VTS+1+CCTCI+%3D%3E+PL+3558/2012 []
Olderposts

Copyright © 2017 RenatoMartini.Net

Theme by Anders NorenUp ↑