Estudos sociológicos e econômicos sobre os impactos das novas tecnologias são fundamentais para a tomada de decisões, seja no setor público ou seja no privado. Claro é que ter bons e sólidos fundamentos técnicos para plataformas tecnológicas é essencial, sejam padrões de interoperabilidade, de visão de segurança da informação, engenharia de software, hardware/software, etc., mas igualmente ter uma boa noção do alcance e impacto social da tecnologia é tão fundamental quanto técnica em si.

Poucos estudos foram publicados sobre a percepção que os franceses têm sobre o uso da biometria. Para medir os desafios que que se perfilam em termos de proteção dos dados, trata-se de avaliar o grau de acitabilidade social desta tecnologia. É neste cenário que o CNIL francês apoiou a pesquisa do Centre de recherche pour l'étude et l'observation des conditions de vie - CRÉDOC.

Os resultados deste trabalho evidenciaram que uma maioria de franceses favoravelmente ao uso legal da biometria, e apenas em duas situações precisas:

1.Nos aquivos policiais com o objetivo da pesquisa de infrações (76 %)
2.Identidade civil (65 %)

Mais informações: Les Français plutôt réservés sur l’usage de la biométrie dans la vie quotidienne, selon une étude du CRÉDOC.

 
Revisão v. 1.0